>

1 year ago · 18 notes (© mocm0c)

O exato momento em que acho que já vivi aquele momento:  

o-melhor-do-mundo:

(Source: coutes)


1 year ago · 28,420 notes (© coutes)

QUEM NASCEU DE UMA RAINHA REBLOGA 

(Source: i-call-las-vegas, via apenasumadolescente)


1 year ago · 3,801 notes (© i-call-las-vegas)

“Marilyn Monroe morreu dia 5 de agosto de 1962.

E toda a sua lógica feminista ainda continua presente. Ou vai me dizer que você nunca viu escrito em algum lugar “Uma garota sábia beija mas não ama, escuta mas não acredita e parte antes de ser abandonada.” Sim, ela dizia isso e dizia mais um monte de coisas. E disse muitas vezes em sua carreira, posso garantir. Mas a vida nunca foi fácil mesmo, ela tinha dinheiro, beleza, e fama. O que será que faltava? O amor, o amor faltava na vida dela. Não, esse não é um texto memorial, muito menos biográfico, eu só gostaria de te comparar algumas coisas. Esses dias eu estava observando a vida, e descobri o quanto simples ela é e eu passei muitos longos anos sem saber isso, sem saber que sem o amor eu não sou nada. Eu não sou e você também não é, acredite. Ainda tem aquelas pessoas que me olham com aquela cara de “você não sabe do que está falando.” ou “eu não preciso do amor.” Mas estão todos errados. Vamos ao que é o amor. SEXO, SEXO, SEXO, SEXO, SEXO, SEXO, SEXO, SEXO, não, mil vezes não. O amor vai muito além de beijar ou abraçar uma pessoa, amar é se importar, amar é dar apoio mesmo quando se desmorona por dentro, amar é querer mesmo longe ás vezes. Amor é você sorrir para estranhos, adular crianças ou tratar bem seus pais. Amor é você olhar para o céu e admirar as estrelas, amor é acordar todas as manhãs morrendo de sono e mesmo assim não reclamar. Amor é cumprimentar quem te odeia, é dizer palavras doces quando se respira amargura. Amor pode ser até um simples bom dia. Mas nada disso realmente importa se você não se importar. Já chorei muito, já partiram muito meu coração, e se eu fosse morrer todas as vezes em que digo que não aguento mais, já teria uma lista interminável de passagens para o outro mundo. Porque, sabe-se lá o porque, a vida é assim mesmo. Ele quebra a sua cara, você quebra a de outro, um grande ciclo mesquinho e cruel. Mas não sejamos hipócritas, não adianta de nada sair pelas ruas gritando o quanto esse mundo está horrível se nem a sua vida está melhor.Já ouviu aquele ditado “Se cada um limpar a sua calçada, a rua toda fica limpa.” Exato. Isso funciona na vida também, até no amor. Se cada um parasse para perceber que não somos donos de mais ninguém, aumentaria a dor, mas diminuiria as ilusões. Agora chega! Meninos-homens, levantem a cabeça, parem de ser os machões e dêem o seu melhor. Ei meninas-mulheres, abaixem essas blusas, aumente esses shorts, diminua a maquiagem, e vai ser feliz um pouquinho. Pois tudo não se resume em apenas o que pensam de você, isso pouco importa. Procure ser feliz, e dane-se o resto.

Marilyn Monroe em resposta sobre sua péssima reputação :
“Quando chega o momento certo, eu os deixo pensarem o que quiserem. Se eles se importam o suficiente para se incomodar com o que eu faço, então já estou melhor do que eles.”
” — Bianca Veiga. (via principedecopas)

(Source: r-adioctiwe, via diarioderomeu)


1 year ago · 11,733 notes (© r-adioctiwe)

Uma das melhores sensações do mundo é poder ser você mesmo com alguém, sem ter que esconder nada, fingir nada, sem ser quem você não é, e a pessoa gostar de você assim mesmo. 

(Source: 1-quase-amor, via insexs)


1 year ago · 47,504 notes (© 1-quase-amor)

(Source: tracando, via incompletavel)


1 year ago · 29,211 notes (© tracando)

“A minha maior mágoa como escritora foi fazer das palavras uma forma de estar mais perto ,de quem só me quis longe.” — Gabriela Motta. (via garota-complexa)


1 year ago · 30 notes (© garota-complexa)

“Você passa a vida toda tentando se descobrir ,e simplesmente conhece alguém que te desvenda como nenhum outro. Você passa a vida se decepcionando e se perguntando quando seria a sua vez de sentir algo que te passa segurança, e você descobre. E descobre também que de alguma forma, você muda. Mas muda aos poucos por cada um que você conhece e se decepciona de ter conhecido. Passa a vida toda se remoendo em lágrimas por sentir demais e ser retribuída de menos. E de repente , você não lembra mais da sensação que era. Não me arrependo de nada , não me arrependo das lágrimas jogadas foras ,ou das palavras que gastei com textos. Não me arrependo de ter conhecido todos que passaram por essa vida e me ensinaram um dos melhores ensinamentos, o amor. O amor chateado , o amor que não é recompensado , mas principalmente , aquele amor que você guarda para si mesma. Eu amei ,hoje me amo. Eu sofri , hoje nem sinto. Eu era boba , hoje sou esperta. Eu me decepcionei , hoje eu decepciono. Tudo graças a esses quase amores que eu tive por essa vida. Me amo e me amo mesmo , aprendi que no final quem vai estar comigo não é o carinha culpado por me fazer virar a noite remoendo em lágrimas , mas sim eu mesma. Portanto nada melhor do que retribuir esse amor deixando de gostar do mundo inteiro para gostar de mim. Ou de alguém que me coloque em primeiro plano. E ainda assim, amando alguém ,sei que no final ele pode ir embora. E só vou poder contar com algumas palavras, eu mesma e textos que de certa forma me ensinam a olhar para trás e perceber que as palavras que um dia gastei foram perda de tempo quando se conhece alguém que merece o dicionário inteiro de frases. ” — Gabriela Motta. (via garota-complexa)


1 year ago · 33 notes (© garota-complexa)

“A minha maior mágoa como escritora foi fazer das palavras uma forma de estar mais perto ,de quem só me quis longe.” — Gabriela Motta. (via garota-complexa)


1 year ago · 30 notes (© garota-complexa)

“Sabe, cara, quando eu desliguei aquele telefone pensei que ela ligaria de volta, mas não ligou. Nós sempre nos demos tão bem e em um certo dia deu tudo errado. O plano era outro, cara. Ela deveria ter me ligado, mandado um recado, alguma mensagem ou uma carta, porra! E ela, simplesmente, deixou tudo como estava. Eu não dei muita bola, até perceber que a mulher da minha vida já não estava mais em minhas mãos. Ela era tudo, tudo pra mim, mesmo eu pouco demonstrando. Seria como aquele belo clichê: se arrependimento matasse. Eu me preocupava muito com aquela garota, ela conseguiu me amar como ninguém jamais havia amado (e, olha, eu já dei muitos motivos pra ela não me amar, mas mesmo assim, teimou e amou). Sabe, cara, hoje eu digo numa boa, mas eu já repeti isso chorando, chorando muito. Era foda acordar sem um beijo, um carinho, um abraço. Era foda acordar sem tê-la ao meu lado, assim, só pra mim, de calcinha e sutiã. Era ainda mais foda perceber o quanto eu fui cafajeste, otário, medroso com o amor e o quanto abusei da minha sorte. Os meus pais sempre diziam que em minha vida toda, nunca haveria outra mulher como ela. E eles estavam certos. Ô se estavam. Sabe, naquela noite eu não queria desligar o telefone, mas fui orgulhoso demais, cara, eu a amava tanto, tanto. Eu pensei em pegar o telefone e dar uma explicação, mas ela não atendeu. Liguei, liguei e só caixa postal. Chorei, porra, chorei demais. Eu sinto a falta dela. Eu lembro que, nós ouviamos nossas músicas juntos e cantávamos sem parar, ela me abraçava como se nunca mais fosse soltar e eu, ah, cara, eu me sentia seguro naquele abraço. Ela cantava certinho “Wish You Were Here” e eu só observava, puta admirado. Hoje não tenho mais notícias dela, não tenho mais o número de celular gravado na minha lista telefônica e nem sei se ela ainda está aqui na cidade. Vai que ela já está com outro namorado. Vai que ela está feliz sem mim. E por que eu também não estou feliz? Por que eu fui um otário, o cara mais burro de todos os romances da história. Ah, se ela ainda soubesse o quanto sinto falta daqueles beijos demorados e quentes, até pareciam que nunca mais iriamos parar de nos beijar. Era bom demais, cara, bom até demais. Eu não fiz por merecer aquele amor, aquela mulher. Eu sempre fui o mais errado da turma, sempre fui o garanhão, sempre curti boates e ela, e ela sempre quietinha, toda tímida, me amava. Será que ela ainda pensa nesse cafajeste tão quanto eu penso nela? Seria bom se pensasse, cara. Eu me amarrava, mas vacilei. Já são mais de 5 meses e hoje eu falo tranquilo, mas já chorei por ela. Logo eu, sempre uma pedra, machão demais para derrubar poucas lágrimas, chorei. Imagina só! Ela era tão minha, era, era mesmo. Gostava de flores, de pipoca, de miojos, rock e literatura. E eu a perdi completamente. O meu telefone até hoje está na espera de um fio de cabelo dela, de uma ligação, correspondência, tanto faz, eu aceito tudo que venha diretamente da minha garota. Ou, ex-garota. Eu ainda sinto falta dos carinhos que só ela sabia fazer, sinto muito mesmo e me culpo por tudo que a fiz passar. Pelas dores, lágrimas, pelas noites que ficou sem dormir por preocupação, pelo amor que ela merecia e eu não retribui. Cara, eu me arrependo tanto por ela e queria que soubesse disso que passei por esse tempo. Ela também deve ter passado, mas já se esqueceu. Um pouco mais de 5 meses após o término da ligação e eu ainda sinto uma falta desgraçada daquela voz, cara, eu sinto uma falta imensa daqueles cabelos cheirando à shampoo de criança. Eu sou burro pra caralho, despedi a mulher da minha vida, a mulher dos meus sonhos, despedi, assim, do nada!” — Lucas Guerrero. (via called-sex)

(via controla-dor)



Acordar → desligar o alarme → dormir → se atrasar:::::::::::::::::::::::: tão eu. 

ll-o-v-e-m-e:

.

(Source: um-garoto-realista, via seumelhoramigo)


1 year ago · 37,328 notes (© cogitador)

“Não fique triste quando ninguém não notar o que fez de bom, afinal… O sol faz um enorme espetáculo ao nascer, e mesmo assim, a maioria de nós continua dormindo.” — Charles Chaplin (via fluorescer)

(Source: auroriar, via se-h0uveramanha)


1 year ago · 22,521 notes (© auroriar)

(Source: thelastboyinlove, via con-seguindo)


1 year ago · 583,977 notes (© thelastboyinlove)

(Source: fatherearth, via prince-disenchanted)


1 year ago · 63,518 notes (© fatherearth)

Quando bate o sinal para ir para casa: 

magiadohumor:

S-H

(via seumelhoramigo)


1 year ago · 1,673 notes (© realizes)